sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Tarô de Marselha — A Lua (Desapontamento)

A Lua (Desapontamento)
O Arcano da Inteligência instintiva, dos ciclos vitais.



Descrição da simbologia — O arcano dezoito representa a Lua nas situações específicas simbolizada pelos outros elementos que compõem a estampa: a “via iniciática lunar”, carregada de um sentido negativo e fúnebre, em oposição à “via solar” do arcano dezenove.
Retrata o mundo das aparências que enganam.
 A alegoria apresenta o astro noturno iluminando os objetos com sua luz refletida e indefinida. 
Ao mesmo tempo cheia e crescente e apresentando um perfil provavelmente feminino, lança à terra dezenove manchas de cor em forma de lágrimas. 
Abaixo dela, duas torres amarelas, uma de cada lado, perdem-se no horizonte. Diante das torres, dois cães ladram à Lua, e, abaixo destes, aparece um enorme caranguejo em meio às águas azuis. 
As torres que se elevam ao fundo advertem que o domínio da Lua está guardado por perigos: atrás delas haveria lendas e contos cheios de fantasmas, uma montanha e um precipício, segundo interpretação de Wirth sobre o que não se vê na gravura. Segundo Cirlot, os cães são os guardiões (cães — deuses?), que impedem a passagem da Lua para o domínio do conhecimento — solar. 
Já a relação do caranguejo com a Lua é antiga, aparecendo em ritos e lendas de numerosas culturas. 
A Lua é o regente do signo de Câncer, representado por um caranguejo. O arcano todo está relacionado ao plano iniciático da via úmida — lunar —, e não abarca o vasto e interminável simbolismo deste astro. Segundo Ouspensky, trata-se de uma alegoria, da viagem heroica, relacionada com o simbolismo de trânsito e passagem: o tanque de água — matéria primordial; o caranguejo — devorador do transitório, como o escaravelho entre os egípcios; os cães que interceptam, a passagem — qualificadores da aptidão do viajante para enfrentar o mistério; as torres, cheias de ciladas e portas — meta, fronteira.

Representação abstrata — A impressionabilidade imaginativa que impede o ser de chegar ao que ele é. 
Desdobramentos psíquicos, viagens extáticas, fantasias arbitrárias, vacilação constante, inquietudes, mudanças frequentes, imprevistos, adversidades; a noite, os sortilégios, as trevas, os feitiços; falta de energia, extravagâncias, falso saber, escravidão material; estado de consciência confuso, ideias quiméricas, lucidez sonâmbula. 

No sentido positivo: crise da fé, onde só a intuição, e não a razão, pode salvar.

Interpretações divinatórias — Carta de miragens e de sonhos, indica um embuste dos circundantes. 
Se estiver na companhia de boas cartas, pode ter o sentido apenas de multiplicação dos efeitos destas. Mas sempre se deve precaver das possibilidades de erro que ela encerra. 

No plano mental: falta de lógica, excesso de imaginação e perigo de depender exclusivamente desta faculdade. 

No plano anímico: forças do inconsciente tendendo a uma inversão de planos, a menos que esteja na companhia de cartas fortes como O Sumo Sacerdote, O Sol, O Mundo, O Carro, etc. 

No plano físico: influências perniciosas, fraudes, enganos, alcoolismo, drogas e tudo o que se refere a estados de sono da alma; trevas e obscuridade; fecundidade e de gestação. 

Em geral, recomenda mudança do ambiente ao qual ela se refere, e busca de lugares secos, ao sol.


RESUMO

Significado abstrato: ilusão. 

Significado prático: escândalo, denúncia ou revelação de um segredo. 
É uma carta ruim, que denota estado de consciência confuso e agitado. 

Em posição invertida: tentativa de realização. Os obstáculos acima referidos podem ser atenuados pela influência das outras cartas. 

Esta carta é poderosa quando acompanhada pela Papisa (ou A Grã- Sacerdotisa), pela Casa de Deus ou pelo Enamorado. 

Moral: Ansiedade. Obsessão. 

Físico: Estado delicado de saúde.


Com as Cartas: 

  • II (A Grã-Sacerdotisa): Antes da Papisa, ambas na posição normal: apesar do desejo de guardar segredos, estes serão revelados. 
  • V (O Sumo Sacerdote): Diminuição de possibilidades de doença. Mágoas são curadas. 
  • VIII (A Justiça): Após A Justiça, ambas na posição normal: denúncia; justiça aparente; falso testemunho provoca uma condenação injusta; existência de fatos que não podem ser provados. Invertida, após A Justiça na posição normal: mesmos efeitos, atenuados pelo reconhecimento dos erros. Antes da Justiça, ambas invertidas: denúncias e falsos testemunhos perdem seus efeitos. Antes da Justiça, ambas normais: as duas cartas têm a mesma força nessa posição, e seu significado depende das cartas que as cercam. Se A Morte segue A Justiça, por exemplo, a pessoa atacada poderá cometer suicídio. Invertida, antes da Justiça em posição normal: apesar da delação e do falso testemunho, A Justiça triunfará. Em posição normal, antes da Justiça invertida: os fatos mencionados anteriormente triunfarão sobre A Justiça. Antes da Justiça, ambas invertidas: os escândalos serão esquecidos. 
  • X (A Roda da Fortuna): Má sorte superada. 
  • XV (O Diabo): Impotência. Frigidez. Uma operação nos órgãos genitais. 
  • XVI (A Casa de Deus): Após A Casa de Deus, ambas em posição normal: o mesmo que na situação anterior, com a diferença de que o consulente toma consciência do erro que aconteceu. Antes da Casa de Deus, ambas na posição normal: o consulente constrói uma crença e age com a esperança de que poderá mantê-la; mas, no auge desse estado de espírito, tudo se desintegra, sem que ele saiba a razão. Em posição normal, antes da Casa de Deus invertida: os efeitos destruidores da Lua são ligeiramente atenuados. Antes da Casa de Deus, ambas invertidas: tentativa, sem sucesso, de “destruir” um estado de coisas; projetos abortados, malsucedidos; revelação de segredos graves, profundamente ocultos. Com A Casa de Deus na posição normal, haveria sucesso na tentativa de destruição; mas, na posição invertida, aqueles que provocaram o mal sofrerão suas consequências. 
  • XX (O Julgamento): Entrega física ou moral. 
  • XXI (O Mundo): As dificuldades são de curta duração. 
  • O Louco: Dor. Estresse.




Lucia


Extraído de:
Tarô de Marselha – Revista Almanaque Planeta Tarô, 6ª Edição, Jul/1989.

Fonte primordial:
hospedado no 4shared.com por pehemaas-br.blogspot.com

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Baralho Comum: Método - O desejo mais íntimo

É um meio de descobrir pelas cartas se aquele desejo especial se tornará realidade, do que propriamente uma leitura de cartas.

Dizem que sua origem está ligada a um membro da corte francesa, do século XVIII, que estava enamorado, sendo assim é muito utilizado por enamorados.


Método 
É preciso escolher uma figura do naipe de copas (Pajem, Rainha ou Rei), que simbolize o "amante";
- essa figura pode representar uma pessoa específica, 
- uma pessoa a qual se tenha interesse 
- ou apenas para prever se alguém vai entrar em sua vida.
Determinar um prazo (semanas, meses ...) para essa consulta pode ser relevante.

Embaralhe essa carta com as demais e em seguida corte o baralho com a mão esquerda, dividindo-o em três montes que devem ser colocados lado a lado.

A figura pessoal (Pajem, Rainha ou Rei) e a carta 9 de copas, que simboliza o desejo, deverão ser encontrados nos montes.

Se essas duas cartas estiverem no mesmo monte, significa que o desejo será realizado: 
- se no primeiro monte, o sonho se tornará realidade em breve,
- se no segundo monte, é preciso contar com uma pequena demora, 
- se no terceiro monte, a demora será grande, mas tudo acabará bem.

Quando o 9 de copas aparece sozinho:
- no primeiro monte, ainda há esperança de o desejo se realizar,
- no segundo monte, a chance é bem menor,
- no terceiro monte, o consulente não deve ter muita esperança.




Veja que, não é para fazer a leitura das cartas ou dos montes, apenas ver em que monte se encontra o 9 de Copas, se está sozinho ou com a carta da figura escolhida para representar a pessoa em questão, e ver o significado segundo as indicações acima.




Sugestões:
- Esse método pode ser usado com o tarot, no caso, apenas com os Arcanos Menores se preferir.

Por ser um método de realização de desejo pode ser usado para outras questões.
Pode-se perguntar sobre viagem, trabalho, questões financeiras, reconciliação, amizade, gravidez, aquisição de bens, concursos ...
Basta substituir a carta da figura (Pajem, Rainha ou Rei) pela carta que representará seu desejo.
Dica: Pelo significado das cartas postado neste blog, veja a carta que melhor representa  o seu desejo - http://cartasedestino.blogspot.com.br/2013/10/o-significado-das-cartas-do-baralho.html 




Lucia




Verso de carta -Pagan Tarot
Nerys Dee - Como ler a sorte pelas Cartas









sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Tarô dos Orixás – Estrela / Oxum

Estrela / Oxum



A orixá das águas doces é parecida com Vênus. 
Por um lado, é a moça faceira e sedutora; por outro, preside os mistérios femininos, a maternidade, a magia (as profundezas da imaginação) e a riqueza (o crescimento, a fecundidade).

Oxum, a Estrela, mostra que depois da tempestade vem a calmaria; no repouso e na contemplação, ela se abre para as novas sensações que brotam ao redor e sente que está tudo bem. 
No meio do turbilhão começa a brilhar a luz da sabedoria que vem da imaginação, organizando e esclarecendo os problemas.

Sua sabedoria consiste em saber se relacionar com as forças da natureza sem se deixar inundar por elas, usando o essencial e devolvendo às fontes inconscientes o excedente. 
Como isso exige muita sensibilidade, ela fica exposta demais; mas sua mensagem é a esperança de que a abertura a novas experiências torne a mudança suave e prazerosa.




Lucia


Extraído de:
Tarô dos Orixás –  Eneida Duarte Gaspar, Editora Pallas.

Fonte primordial:
hospedado no 4shared.com por pehemaas-br.blogspot.com

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Selos